Header

Apresentação

A Casa Lacerda é uma edificação de características coloniais, situada no Centro Histórico da Lapa, que conta com tombamento isolado pelo IPHAN e pela Coordenação do Patrimônio Cultural do Paraná, além de estar inserido em área urbana também protegida por tombamento nas duas esferas. Doada ao IPHAN na década de 1980, a casa abriga hoje um Museu que reproduz uma típica residência lapeana, além de funcionar como Casa do Patrimônio, sediando exposições temporárias, cursos e atividades voltadas à população local.

Como responsável pelo espaço, o IPHAN tem investido na ampliação das ações de educação patrimonial oferecidas no local, com mais espaços para atividades culturais e exposições. Além disso, por estar dentro de um centro histórico tombado, pretende ainda criar um espaço para atendimento à população lapeana. Para tanto, faz-se necessária a ampliação do espaço físico destinado às instalações do Museu Casa Lacerda, por meio da construção de um edifício em anexo que atenda a essas necessidades, além de um projeto paisagístico que integre o novo edifício com os espaços externos do Museu.

A realização de um concurso nacional de arquitetura para a viabilização desse projeto surge como uma oportunidade para promover a atuação institucional do IPHAN, bem como o próprio município da Lapa, com o potencial ainda de contribuir para o debate e a reflexão sobre o papel da arquitetura contemporânea em contextos históricos e as possibilidades de diálogo entre o antigo e o novo.

Nesse sentido, a expectativa é demonstrar que é possível desenvolver bons projetos de arquitetura contemporânea em ambientes sensíveis, resultando em uma obra capaz de dialogar com o contexto no qual está inserido, respeitando a configuração espacial urbana e arquitetônica do Centro Histórico da Lapa e da Casa Lacerda, agregando-lhes novos valores, sem competir com eles.

A nova estrutura deverá complementar o espaço do Museu Casa Lacerda, abrigando espaços adequados à sua função de Casa do Patrimônio, como: biblioteca, espaço para pequenas exposições temporárias, espaços para realização de seminários, oficinas de educação patrimonial, rodas de conversas, saraus, apresentações de espetáculos de pequeno porte, oficinas de cozinha tradicional, entre outras atividades culturais diversificadas, voltadas para públicos variados – crianças, educadores, grupos escolares, gestores, idosos, adultos, famílias, turistas e visitantes, moradores do centro histórico.

Convidamos então os arquitetos de todo o país para esse desafio, de trazer para a Lapa um projeto de arquitetura contemporânea que contribua para a valorização desse importante patrimônio cultural brasileiro.

Footer